Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
A poesia é água cristalina, sacia a sede, alimenta o espírito. Já não posso mais dizer se ela quem me habita ou o contrário. Como explicar sobre? A escrita é uma lâmina afiada, um vulcão, ou apenas ilha de águas mornas, banha pés descalços... Nunca quis definir a poesia, melhor esquecer-se das explicações. Escrever passou a ser janela exposta, que por hora, mantêm-se aberta ao mundo de quem lê. *** Mineira/Paulistana/ Poeta, Escritora, Administradora de Empresas, Pós Graduada em Gestão Empresarial. Laureada com o III Prêmio Canon de Literatura e Poesia em 2010. Márcia Christina Lio Magalhães é Sócia-Fundadora da Academia de Letras Juvenal Galeno, onde ocupa a Cadeira nº 10. Diretora de Relações Culturais da ALJUG. Membro da ACE - Associação Cearense de Escritores. Este Blog é dedicado a todos os amantes da poesia e que possamos através dela, unir horizontes, atravessar oceanos, iluminar os corações, alegrar os solitários, apaziguar a alma, multiplicar as amizades, eternizar as emoções. Sejam bem vindos!*** Livros Publicados: POETAR É PRECISO - 1° edição 2010 ** A PELE QUE HABITO - 1° edição 2013.

18 de abr de 2009

Segredo

Quase sem querer
A moça se desculpa
Diz não saber
Responde ao coração

E ele insistindo
Questiona de novo
Pois sangra a ferida
Que tarda a doer

E mesmo perdida
A moça declama
Afirma, não ama
Querendo esquecer...

Aos olhos do mundo
Tropeça nas letras
Se engana na chama
Que teima em arder

Mas mesmo baixinho
O coração sussurra
Que a lágrima perdida
Contou-lhe um segredo

Que a tempos ela guarda
No esquerdo do peito
O amor de outrora
Que não pôde ter...


(Márcia Cristina Lio Magalhães)

9 comentários:

  1. Que maravilha...
    Sentir e expressar o sentimento é privilégio de poucos, poucos mesmos!
    Esteja certa, querida Márcia, que os seus delicados poemas serão, logo, publicados.
    Nós, os simples mortais, merecemos!
    Beijo carinhoso.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Marcia!
    Adorei o seu blog! Obrigado por ter acessado o meu blog! Valeu pelos comentários! Gostei de saber que vc é apaixonada por motos..(eu também!)...quando for prá Machu Picchu, me convida!!! ...Eu também adoro Pink Floyd, afinal sou um cara dos anos 70...hehehe.
    Beijos.., até mais!

    ResponderExcluir
  3. afirma...não ama!?...e...para ti...

    "the flowers are all right"...!?...

    ResponderExcluir
  4. Haverá maior contradição que a necessidade de ocultar, iludir, velar para poder amar? Na vida, como no amor, de mais são as verdades silenciadas ou as mentiras ditas; de menos a doçura partilhada...
    Beijinho!
    Jorge

    ResponderExcluir
  5. Oi, obrigado pela visita. Lendo seu perfil percebi que temos algo em comum, a paixão por moto e a vontade de viajar. Já fui duas vezes a Machupichu mas nenhumas delas de moto, e nesse ano estou me preparando pra isso. Que tal encarar essa viagem ainda este ano no nosso grupo? Abraços.

    ResponderExcluir
  6. A poesia é feita de contradições...assim como a vida que se exposta declaradamente é muitas vezes espantosa aos olhos dos que não sabem ver...
    Há verdades ditas tão despretenciosamente, que são confundidas com mentiras por corações desatentos...

    ResponderExcluir
  7. Marcia,
    Após o nosso papo sobre rock, gravuras e desenhos, postei uma lembrança prá vc lá no meu blog,...entra lá, vc vai gostar!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Nas percepções do coração, por mais desatento que este seja, jamais se confunde a verdade com a mentira. Porque é com o escopo do coração que se esculpe a verdade... mesmo que não o seja para os homens... para os deuses... mesmo que o seja, apenas, para si, coração, o genuíno músculo-verdade!

    ResponderExcluir
  9. A todos os corações desatentos ou não, dos anjos, dos deuses, dos arcanjos, dos poetas, ficai de olhos e ouvidos abertos, pois que, nem sempre uma cesta no meio do caminho pode se tratar duma emboscada!

    ResponderExcluir

Olá, fico feliz que estejas aqui! Agradeço por deixar um aceno, uma palavra, um pontinho que seja da tua opinião.
Faz deste cantinho teu também e volta, sempre! Deixo um beijo, com sorriso... Márcia Magalhães