Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
A poesia é água cristalina, sacia a sede, alimenta o espírito. Já não posso mais dizer se ela quem me habita ou o contrário. Como explicar sobre? A escrita é uma lâmina afiada, um vulcão, ou apenas ilha de águas mornas, banha pés descalços... Nunca quis definir a poesia, melhor esquecer-se das explicações. Escrever passou a ser janela exposta, que por hora, mantêm-se aberta ao mundo de quem lê. *** Mineira/Paulistana/ Poeta, Escritora, Administradora de Empresas, Pós Graduada em Gestão Empresarial. Laureada com o III Prêmio Canon de Literatura e Poesia em 2010. Márcia Christina Lio Magalhães é Sócia-Fundadora da Academia de Letras Juvenal Galeno, onde ocupa a Cadeira nº 10. Diretora de Relações Culturais da ALJUG. Membro da ACE - Associação Cearense de Escritores. Este Blog é dedicado a todos os amantes da poesia e que possamos através dela, unir horizontes, atravessar oceanos, iluminar os corações, alegrar os solitários, apaziguar a alma, multiplicar as amizades, eternizar as emoções. Sejam bem vindos!*** Livros Publicados: POETAR É PRECISO - 1° edição 2010 ** A PELE QUE HABITO - 1° edição 2013.

19 de mai de 2009

Murmúrio


"Traze-me um pouco das sombras serenas
que as nuvens transportam por cima do dia!
Um pouco de sombra, apenas,
- vê que nem te peço alegria.

Traze-me um pouco da alvura dos luares
que a noite sustenta no teu coração!
A alvura, apenas, dos ares:
- vê que nem te peço ilusão.

Traze-me um pouco da tua lembrança,
aroma perdido, saudade da flor!
- Vê que nem te digo - esperança!
- Vê que nem sequer sonho - amor!"


(Cecília Meireles)

2 comentários:

  1. Sentindo a delicadeza da Cecília com esse murmúrio suave, continuemos comela no
    QUARTO MOTIVO DA ROSA


    "Não te aflijas com a pétala que voa:
    também é ser, deixar de ser assim.


    Rosas verá, só de cinzas franzida,
    mortas, intactas pelo teu jardim.


    Eu deixo aroma até nos meus espinhos
    ao longe, o vento vai falando de mim.

    E por perder-me é que vão me lembrando,
    por desfolhar-me é que não tenho fim."

    É uma doçura ler o que você, com nitidez, nos brinda, querida Márcia!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado a tu caro amigo, por brindar-me com outro poema de Cecília que adoro! Na verdade, gosto de tudo q ela escreveu, mas confesso q esses dois postados são de longe meus preferidos! Contribua mais Luiz!!

    abs...

    ResponderExcluir

Olá, fico feliz que estejas aqui! Agradeço por deixar um aceno, uma palavra, um pontinho que seja da tua opinião.
Faz deste cantinho teu também e volta, sempre! Deixo um beijo, com sorriso... Márcia Magalhães