Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
A poesia é água cristalina, sacia a sede, alimenta o espírito. Já não posso mais dizer se ela quem me habita ou o contrário. Como explicar sobre? A escrita é uma lâmina afiada, um vulcão, ou apenas ilha de águas mornas, banha pés descalços... Nunca quis definir a poesia, melhor esquecer-se das explicações. Escrever passou a ser janela exposta, que por hora, mantêm-se aberta ao mundo de quem lê. *** Mineira/Paulistana/ Poeta, Escritora, Administradora de Empresas, Pós Graduada em Gestão Empresarial. Laureada com o III Prêmio Canon de Literatura e Poesia em 2010. Márcia Christina Lio Magalhães é Sócia-Fundadora da Academia de Letras Juvenal Galeno, onde ocupa a Cadeira nº 10. Diretora de Relações Culturais da ALJUG. Membro da ACE - Associação Cearense de Escritores. Este Blog é dedicado a todos os amantes da poesia e que possamos através dela, unir horizontes, atravessar oceanos, iluminar os corações, alegrar os solitários, apaziguar a alma, multiplicar as amizades, eternizar as emoções. Sejam bem vindos!*** Livros Publicados: POETAR É PRECISO - 1° edição 2010 ** A PELE QUE HABITO - 1° edição 2013.

29 de mai de 2010

Melancolia

-->
Da vida que deixei partir
Restam-me sorrisos vagos
Sobre a areia saltam
Como olhos atentos 
marejados, sem luz

Do doce dos licores mais amargos
Agonizam palavras sobre o mar

Da melancolia, maremotos,
Ventos uivam, rasgam o ar...

Quem lhe beija, parte!
Sob um sol de guerras triunfantes
Raios negros, rocha, diamantes
Tratados
Promessas por queimar...

Da melancolia sobra
Ombros cansados,
Caminhos por partir

Onde a tristeza mora
Coração petrificado
Horas eternas
Dores do sentir...

(Márcia Christina Lio Magalhães)

12 comentários:

  1. Do escritor Italo Calvino sobre: "Melancolia é a ausência (saudade) que se tornou leve". abraço

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Assis, tudo sobre Ausência, Saudade, sempre é lindo, triste, toca...

    Outro abraço!

    ResponderExcluir
  3. [palavra de letra em letra fluída, como todos os líquidos que nos habitam; sejam ribeiros, mares, lágrimas ou pedaço de nuvem]

    um imenso abraço, Márcia

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  4. Leonardo, teu comentário é poesia, daquelas, faz estremecer os mortais...

    Outro abraço, com sorriso...

    ResponderExcluir
  5. Melancolia e dor são companheiras inseparáveis.andam pela vida de braço dado.mesmo que a dor seja levezinha.
    beijo grande.

    ResponderExcluir
  6. Em@, palavras certeiras...

    beijos, chão de estrelas sempre!

    ResponderExcluir
  7. Márcia,
    Dores do sentir, amores...
    A alma humana cumula-se de perdas, e por elas se agiganta. Estranho, não?
    Bom vir sempre aqui, amiguinha meiga minha...

    Amplexo gigante,
    Pedrim.

    ResponderExcluir
  8. melancolicamente irresistível, márcia!
    os trilhos da felicidade não dispensam a mágoa e a melancolia, por mais arrevesado e contraditório que isso possa parecer.
    um beijinho, amiga!

    ResponderExcluir
  9. Sua presença sempre me alegra Pedrim!!
    Tu sabes que essa casa tbm é tua...

    Amplexo maior! :-)

    ResponderExcluir
  10. "Do doce dos licores mais amargos..."

    Só vc poetisa pra escrever algo assim.

    Abraço!

    Pedro Saulo

    ResponderExcluir

Olá, fico feliz que estejas aqui! Agradeço por deixar um aceno, uma palavra, um pontinho que seja da tua opinião.
Faz deste cantinho teu também e volta, sempre! Deixo um beijo, com sorriso... Márcia Magalhães