Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
A poesia é água cristalina, sacia a sede, alimenta o espírito. Já não posso mais dizer se ela quem me habita ou o contrário. Como explicar sobre? A escrita é uma lâmina afiada, um vulcão, ou apenas ilha de águas mornas, banha pés descalços... Nunca quis definir a poesia, melhor esquecer-se das explicações. Escrever passou a ser janela exposta, que por hora, mantêm-se aberta ao mundo de quem lê. *** Mineira/Paulistana/ Poeta, Escritora, Administradora de Empresas, Pós Graduada em Gestão Empresarial. Laureada com o III Prêmio Canon de Literatura e Poesia em 2010. Márcia Christina Lio Magalhães é Sócia-Fundadora da Academia de Letras Juvenal Galeno, onde ocupa a Cadeira nº 10. Diretora de Relações Culturais da ALJUG. Membro da ACE - Associação Cearense de Escritores. Este Blog é dedicado a todos os amantes da poesia e que possamos através dela, unir horizontes, atravessar oceanos, iluminar os corações, alegrar os solitários, apaziguar a alma, multiplicar as amizades, eternizar as emoções. Sejam bem vindos!*** Livros Publicados: POETAR É PRECISO - 1° edição 2010 ** A PELE QUE HABITO - 1° edição 2013.

20 de jun de 2010

        Foto: Google


Meias Solas

"Bem sei que as meias-solas que deitei
Nas botas aprazadas não resistem
À calçada do tempo que discorro.

Talvez parado as botas me durassem,
Mas quieto quem pode, mesmo vendo
Que é desta caminhada que me morro."

(José Saramago)

Ps: Poema publicado em homenagem a este ilustre escritor português, falecido esta semana, a quem tenho profunda admiração pela escrita ímpar, avassaladora.

10 comentários:

  1. nesta caminhada estamos todos a morrer inexoravelmente,

    beijo

    ResponderExcluir
  2. Amiga Márcia.
    Não são demais as homenagens a este grande escritor da língua portuguesa, Nobel da Literatura.
    Beijos amiga.
    Victor Gil

    ResponderExcluir
  3. Sem dúvida Assis, para renascer...
    Esse mestre todavia, hoje, virou estrela no firmamento da eternidade...

    Carinhoso abraço amigo!

    ResponderExcluir
  4. Realmente amigo Gil, essa pequena homenagem é pouco diante da grandeza deste escritor, se não me falha a memória Nobel de 1998...

    Feliz em vê-lo por aqui, estavas sumido...

    Abraço forte, amigo querido!

    ResponderExcluir
  5. Márcia,
    Vi várias homenagens feitas a Saramago e sempre vou achar que serão poucas. Grande escritor, pensador, ser humano.
    Beijo grande,

    Ivan Bueno
    blog: Empirismo Vernacular
    www.eng-ivanbueno.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Verdade, mas sempre lembraremos dele, com ou sem homenagens...
    Leitura de cabeceira, sem dúvida!

    Abraços,

    ResponderExcluir
  7. e se as botas de saramago não eram, elas mesmas, o caminho que todos, em certo sentido, trilhámos. ele que, entre cegueiras e intermitências de morte, foi colírio de cristal fino que estende o brilho para lá das estrelas do olvido.
    um beijinho, querida amiga! obrigado pelas palavras que só tu sabes tecer lá no viagens de luz e sombra!

    ResponderExcluir
  8. Disse anteriormente, e direi sempre:
    Esse mestre agora, virou estrela, no firmamento da eternidade...

    Jorge amigo, só sei responder com poesia lá... :-)

    Carinhoso abraço!

    ResponderExcluir
  9. Márcia,
    Saramago? Mago das ideias, mecânico das almas e estrela no firmamento da eternidade...

    Abraço quase triste,
    Pedrim.

    ResponderExcluir
  10. Outro abraço Pedrim, este, do lado esquerdo do peito...

    ResponderExcluir

Olá, fico feliz que estejas aqui! Agradeço por deixar um aceno, uma palavra, um pontinho que seja da tua opinião.
Faz deste cantinho teu também e volta, sempre! Deixo um beijo, com sorriso... Márcia Magalhães