Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
A poesia é água cristalina, sacia a sede, alimenta o espírito. Já não posso mais dizer se ela quem me habita ou o contrário. Como explicar sobre? A escrita é uma lâmina afiada, um vulcão, ou apenas ilha de águas mornas, banha pés descalços... Nunca quis definir a poesia, melhor esquecer-se das explicações. Escrever passou a ser janela exposta, que por hora, mantêm-se aberta ao mundo de quem lê. *** Mineira/Paulistana/ Poeta, Escritora, Administradora de Empresas, Pós Graduada em Gestão Empresarial. Laureada com o III Prêmio Canon de Literatura e Poesia em 2010. Márcia Christina Lio Magalhães é Sócia-Fundadora da Academia de Letras Juvenal Galeno, onde ocupa a Cadeira nº 10. Diretora de Relações Culturais da ALJUG. Membro da ACE - Associação Cearense de Escritores. Este Blog é dedicado a todos os amantes da poesia e que possamos através dela, unir horizontes, atravessar oceanos, iluminar os corações, alegrar os solitários, apaziguar a alma, multiplicar as amizades, eternizar as emoções. Sejam bem vindos!*** Livros Publicados: POETAR É PRECISO - 1° edição 2010 ** A PELE QUE HABITO - 1° edição 2013.

18 de out de 2010

Verso Mudo

Foto: M.C.L.M



E o dia se fez noite
Treva clama os brandos da saudade
Naves, barcos suicidas
Cais, marinhas sem sinal
Morte, dunas são escribas!
Verbo se fez carne afinal...

Chora, sangra a ferida
Rios, margem sem farol
Pouco ou nada gritas!
Cala, morre por punhal...

Nada é mais verdade que o silêncio...
Tolo forasteiro os relógios
Marcam tempo cada sílaba
Da boca escarnada, sem vida...

Penso, esqueço, me levanto
Deito, durmo, ouço, canto...
Porque a terra chora, clama!
Mas não sonha...

Versos mudos, lamparinas...
Céus sem nuvens
Campo vasto!
Ver-te em gotas nas esquinas,
Rosa em pétalas me desfaço...

(Márcia Cristina Lio Magalhães)

10 comentários:

  1. Uau! Minha amiga. Poema divinal. Gosto deste tipo de poesia. Profunda, ritmada, ao correr da pena.
    Beijos amiga.
    Victor Gil

    ResponderExcluir
  2. Má,
    que lindo :
    "Ver-te em gotas nas esquinas,
    Rosa em pétalas me desfaço..."
    ____
    tem um desafio à sua espera. Sua presença +e imprescindível. ;)
    beijo

    ResponderExcluir
  3. "Nada é mais verdade que o silêncio...
    Tolo forasteiro os relógios"

    Gostei disso!

    abraço amiga poeta, a cada dia tua escrita se é que isso é possível, torna-se mais intensa, em mim!

    Pedro Saulo

    ResponderExcluir
  4. Obrigada amigo Gil, tuas gentis palavras são sempre sol...

    Abraços...

    ResponderExcluir
  5. Pedro, palavras de amigo são suspeitas...rsrs

    Aquele tal abraço,

    ResponderExcluir
  6. Querida Em@, já fui e voltei do teu espaço...
    Tua presença por aqui é lei!

    Grande beijo amiga!

    ResponderExcluir
  7. Nada é mais verdade que o silêncio...

    nossa amiga,você disse tudo o que eu gostaria de ter dito nos últimos anos,e olha que são muitos,demais,beijaço,ronaldo derly.

    ResponderExcluir
  8. Obrigada Derly pela visita, andavas sumido, volta mais vezes...

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  9. "Nada é mais verdade que o silêncio"...
    Por vezes é ele mesmo que diz tudo né Má...
    Saudades de ti.
    Meu carinho de sempre, RO

    ResponderExcluir
  10. É Rô, silêncio corta mais que navalha a-fiada...rs

    Beijos no teu coração amiga!

    ResponderExcluir

Olá, fico feliz que estejas aqui! Agradeço por deixar um aceno, uma palavra, um pontinho que seja da tua opinião.
Faz deste cantinho teu também e volta, sempre! Deixo um beijo, com sorriso... Márcia Magalhães