Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
A poesia é água cristalina, sacia a sede, alimenta o espírito. Já não posso mais dizer se ela quem me habita ou o contrário. Como explicar sobre? A escrita é uma lâmina afiada, um vulcão, ou apenas ilha de águas mornas, banha pés descalços... Nunca quis definir a poesia, melhor esquecer-se das explicações. Escrever passou a ser janela exposta, que por hora, mantêm-se aberta ao mundo de quem lê. *** Mineira/Paulistana/ Poeta, Escritora, Administradora de Empresas, Pós Graduada em Gestão Empresarial. Laureada com o III Prêmio Canon de Literatura e Poesia em 2010. Márcia Christina Lio Magalhães é Sócia-Fundadora da Academia de Letras Juvenal Galeno, onde ocupa a Cadeira nº 10. Diretora de Relações Culturais da ALJUG. Membro da ACE - Associação Cearense de Escritores. Este Blog é dedicado a todos os amantes da poesia e que possamos através dela, unir horizontes, atravessar oceanos, iluminar os corações, alegrar os solitários, apaziguar a alma, multiplicar as amizades, eternizar as emoções. Sejam bem vindos!*** Livros Publicados: POETAR É PRECISO - 1° edição 2010 ** A PELE QUE HABITO - 1° edição 2013.

10 de mar de 2011

Espírito Motociclístico

Desde adolescente ouço esse tema, lema como queiram...
Mas como definir?

Piloto motos há “quase” 20 anos, é verdade, já sou uma balzaquiana...
Nessa longa estrada e porque não dizer aventura, deparei-me com gente de toda a espécie, motoqueiro, monstro-queiro, motociclista, moto-turista, motoboy, não importa o adjetivo para denominar o amor que se tem pelas duas rodas, esse é igual para todos, ao menos era o que eu pensava até pouco tempo atrás, mas as opiniões mudam...

Antigamente as motos tinham baixa cilindrada, não havia moto grande importada, e ter uma 125 cc já era fato de orgulho, para o dono.
Lembro-me que na época da inexistência de Lei que obrigasse o motociclista fazer uso do capacete, paráva-mos no farol e com um gesto simples, mas peculiar, cumprimentávamos uns aos outros com um balançar de cabeça humilde, e quando na rua, ao cruzar com outra moto, tínhamos o hábito de buzinar e inclinar a cabeça fazendo um cumprimento que era quase um aperto de mão...

De lá para cá muita coisa mudou, vieram as motos maiores, 350, 450, 600, 900, RR, R1, ZX, 1200 e com elas, novos proprietários de motocicletas e novas visões de mundo.
Criaram-se Sites, Blogs, Irmandades, Moto Clubes, Fóruns, e foram então se dividindo os “donos” de motos pelo poder do cifrão...
Aos poucos o Espírito Motociclístico foi sendo esquecido, dando lugar aos interesses individuais...
Sem querer generalizar, acredito que ainda persiste nos corações daqueles que de fato amam o motociclismo como um Ideal, não só de aventura mas de liberdade!

Todavia o espírito Motociclístico, aquele que se tinha antigamente, de amizade, companheirismo, família, fraternidade, confraternização, foi perdendo terreno nos corações de alguns...
Pois é, conheci muita gente boa nesse meio, gente que como eu respeita e é respeitado, não pela sua cor, conta bancária, estado civil, religião, nem pelo tamanho da cilindrada da moto, tão pouco por outros interesses menos nobres...
Mas as coisas nem sempre são como esperamos que devam ser, justas!

Percebo que tem gente que anda de moto, viaja junto, senta no boteco pra beber junto, joga conversa fora, conta piada, brinca, participa de fóruns, moto clubes, mas na verdade NÃO SÃO MOTOCICLISTAS! Apenas andam de moto...
Existe uma diferença grande em ser motociclista e em apenas andar de moto.
Até mesmo alguém que de repente está sem moto momentaneamente por alguma situação temporária é mais motociclista que muitos que se dizem por aí sendo um! 

O Espírito Motociclístico não tem alter-ego! Não é orgulhoso, melindrado...
Tem gente que senta na moto, sai por aí empinando bandeiras, mas na verdade, sequer sabe o que de fato é ser um MOTOCICLISTA!
Tem gente que só anda de moto, e andar de moto não é ser Motociclista! Andar de moto, qualquer um anda! Agora ter o espírito de amizade, fraternidade, honestidade, idoneidade, companheirismo, respeito, isso é privilégio de poucos...

Eu aprendi e aprendo todo dia, que é melhor fazer papel de tolo do que fazer papel de esperto! Já dizia meu velho e sabido pai: 
“A esperteza quando é muita, vem e come o dono!”

E assim é com as amizades, tem gente que não sabe valorizar uma amizade sincera, possivelmente até pode subjugá-la ingênua, mas na verdade, esses que assim se comportam, são aqueles que só sabem andar de moto... Não são de fato MOTOCICLISTAS!
Tão pouco sabem diferenciar o quê de como, e se questionados sobre isso, provavelmente vão tergiversar!
Espírito Motociclístico para eles é tão somente ter moto e acelerar, pena que em verdade, não sairão do lugar comum...

(Crônica de Márcia Cristina Lio Magalhães)

18 comentários:

  1. Amiga Márcia, não sou motociclista, tão pouco andei de moto, mas entendo suas observações.
    Válidas e autênticas, fazem parte da realidade do ser humano, muitas vezes mesquinho.

    Aquele abraço,

    Pedro Saulo

    ResponderExcluir
  2. em mátéria de motos sou quase analfabeto, mas a amizade de ser bem maior, sempre


    beijo

    ResponderExcluir
  3. Pedro, já dizia um provérbio: Esperar mais dos outros que de você mesmo gera decepções...

    Amizade verdadeira hoje em dia, dentro e fora do Motociclismo é coisa RARA!!

    Obrigada amigo querido!

    ResponderExcluir
  4. Às vezes os interesses individuais estão acima das amizades amigo Assis, daí, nos decepcionamos...

    Grande abraço amigo querido!

    ResponderExcluir
  5. Eu gosto de motos e já andei à pendura. mas depois
    engravidei e um dia íamos caindo e fiquei com tanto medo que o F teve de vender a moto.

    beijo, querida Má!

    ResponderExcluir
  6. Marcia; Linda crónica sobre o que é ser motocilita. Cá há clubes há concentação de motares, mas eles parecem uma familia tenho um cunhado que faz essas concentraçãos vem motares de Varios paises a essas concentrações. é muito bonito ver eles todos felizes falando uns com os outros.
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  7. E querida Em@, moto não deixa de ter lá seus perigos... eu mesma já caí (na garupa), mas NUNCA pilotando...sorte!

    Um grande beijo amiga...

    ResponderExcluir
  8. Verdade Santa Cruz, tem muita gente boa no meio motociclístico, gente amiga, leal, mas também existem aqueles que simplesmente ANDAM DE MOTO e do verdadeiro Espírito de Motociclista, pouco ou nada sabem...

    Feliz em tê-lo aqui!

    Um abraço, com sorriso...

    ResponderExcluir
  9. Minha querida Márcia.
    De moto eu percebo pouco. Andar também não ando. Nem à garupa nem pilotando. Mas sinceramente aprecio a tua atitude perante esse veículo de duas rodas.
    Mas estou aqui também para te dizer que já recebi teu livro. Fiquei muito contente pela chegada do correio. Neste momento é livro mais importante para mim. Por várias razões. Pela amizade, pelo carinho, por tudo o que de saudável existe nesta partilha poética entre este oceano imenso que nos separa, mas ao mesmo tempo consegue unir na amizade mais sincera.
    Beijos amiga.
    Victor Gil

    ResponderExcluir
  10. Querido Gil, feliz em saber que esse mimo já está em tuas mãos, e que, como tu tbm está no Livro, nossa amizade jaz eternizada!!

    Obrigada por partilhar esta estrada do Poetar é Preciso desde o começo do Blog...

    Imenso abraço,

    Márcia

    ResponderExcluir
  11. Bom dia, Màrcia! É un prazer conhecer o teu blog e o maravilhoso conteúdo. Parabéns pelos posts e pelo colorido ideal dos espaços. Obrigado também pela sua visita ao meu Blog Poesia para o mundo.
    Visite o meu Blog Nosso mundo e faça parte. Será uma honra tê-la como colaboradora. O link é http://www.nossomundo.bligoo.com.br
    Um abrazo e desejos de uma maravilhosa semana, plena de sol, saúde, amizade, alegria e inspiração pra você.
    Do seu mais novo admirador Remisson

    ResponderExcluir
  12. Olá Remisson, obrigada por tão gentis palavras... Saber que gostou do Poetar, muito me deixa feliz!
    Sem dúvida vou visitar seus blogs...
    Volta sempre, és muito bem vindo!

    um abraço com sorriso...

    Márcia

    ResponderExcluir
  13. Parabens pela excelente crônica,ela representa o sentimento dos verdadeiros motociclistas. Vou publicar no site da Associação dos Motociclistas e Motoclubes do Eatado de Pernambuco AMO-PE, com os devidos creditos.
    É muito bom ter pessoas como voce no motociclismo. só curiosidade: a moto da foto na crônica é a sua?

    Abração
    Hamilton Mendes
    OrorubaMC
    AMO-PE

    ResponderExcluir
  14. Olá Hamilton, prazer em recebê-lo por aqui!

    Fico feliz que tenha gostado da minha Crônica, em verdade, foi um "desabafo"...
    Esse ano tive uma decepção imensa com "alguns" pseudo-motociclistas, eu participava de um Fórum e até conhecê-los pessoalmente tudo era AZUL, depois, fiquei perplexa com as atitudes de "alguns", principalmnete o "Dono" do site, que usa o site para se auto-promover, fazem encontros, tomam cerveja juntos, mas mantêm um caráter questionável, machista, vil e arrogante, enfim...

    Agradeço seu comentário, e espero que volte sempre ao site...

    Pegue o que quiser por aqui, pode copiar a vontade, agradeço pelos "créditos"...rsrs

    A melhor forma de se fazer amigos, é expondo as opiniões, mesmo que elas diferem, a verdade prevalece, e o respeito, a fraternidade, e principalmente a lealdade tem que fazer parte de qualquer amizade verdadeira, sem isso, vira melindre...

    Sou Motociclista sim, e já faz muuuuuuito tempo... Essa CBR preta e roxa 94/95 da foto foi minha por 08 anos, hoje é de um amigo meu...
    Não publico foto das minhas motos aqui, porque não gosto de expor demais a vida "pessoal" e o Blog é mais Literário né...

    Volta sempre, és muito bem vindo!! Se tiver Facebook me add.

    um abraço, com sorriso...

    Márcia

    ResponderExcluir
  15. Acho que sei o que você diz Márcia, isto é parte do perfil do meu Orkut
    Não esqueço a emoção de ter Tido ao meu lado pessoas que não posso chamar de amigos, pois soaria sem brilho e sem graça, visto que era só olharmos um para o outro, e já sabíamos o pensamento um do outro. Tamanha é a nossa finidade e paixão por motocicletas antigas.
    Sei o que sinto quando escuto uma antiga motocicleta com o avanço do platinado levemente reduzido vindo. Seu grave, acústico, e belo som de baixa rotação, preenchendo todo o ambiente a sua volta... O meu peito pega fogo com a beleza do som e da cena, e minha alma por segundos... Voa!
    Horácio
    Orkut: Horacio_harley@yahoo.com.br
    YouTube: ajsinglesa

    ResponderExcluir
  16. Horácio, seja muito bem vindo!
    Também fiz excelentes amigos neste meio, pena que também tive decepções, normal...

    Abraços,

    ResponderExcluir
  17. Márcia... ao ler o seu "desabafo" senti como se estivesse abrindo o meu coração. Certamente muitos se sentem assim. Acho que na verdade, no motociclismo, nao buscamos apenas a tal liberdade, buscamos antigos valores que a sociedade moderna consumiu e que faz falta pro homem. Ainda acredito no espírito motociclista ! Me decepciono muitas vezes mas continuo com minha moto e sigo a estrada da vida. Sei que em alguma curva encontrarei alguém como eu, como vc ! É só não desistir !
    Abração !!

    ResponderExcluir
  18. Caro Yan, seja bem vindo ao meu Blog!

    Verdade, tudo o que vc disse. Espero tbm encontrar nas curvas da estrada, gente que como nós, não se esconde por trás da cilindrada da moto ou do poder do cifrão, mas que busca AMIGOS neste meio, sem distinção.

    De fato, me decepcionei com "meia dúzia" que não faz o todo, e espero que gente assim, seja "limada" do meio Motociclístico!!
    Sempre digo: Um dia as máscaras caem...

    Volte sempre!!

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir

Olá, fico feliz que estejas aqui! Agradeço por deixar um aceno, uma palavra, um pontinho que seja da tua opinião.
Faz deste cantinho teu também e volta, sempre! Deixo um beijo, com sorriso... Márcia Magalhães