Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
A poesia é água cristalina, sacia a sede, alimenta o espírito. Já não posso mais dizer se ela quem me habita ou o contrário. Como explicar sobre? A escrita é uma lâmina afiada, um vulcão, ou apenas ilha de águas mornas, banha pés descalços... Nunca quis definir a poesia, melhor esquecer-se das explicações. Escrever passou a ser janela exposta, que por hora, mantêm-se aberta ao mundo de quem lê. *** Mineira/Paulistana/ Poeta, Escritora, Administradora de Empresas, Pós Graduada em Gestão Empresarial. Laureada com o III Prêmio Canon de Literatura e Poesia em 2010. Márcia Christina Lio Magalhães é Sócia-Fundadora da Academia de Letras Juvenal Galeno, onde ocupa a Cadeira nº 10. Diretora de Relações Culturais da ALJUG. Membro da ACE - Associação Cearense de Escritores. Este Blog é dedicado a todos os amantes da poesia e que possamos através dela, unir horizontes, atravessar oceanos, iluminar os corações, alegrar os solitários, apaziguar a alma, multiplicar as amizades, eternizar as emoções. Sejam bem vindos!*** Livros Publicados: POETAR É PRECISO - 1° edição 2010 ** A PELE QUE HABITO - 1° edição 2013.

1 de mar de 2011

Velho Professor - O Destino

Contigo aprendi que as verdades são passageiras e tudo dura o instante de um olhar...
Compreendi, que os barcos passam invisíveis na rota dos sonhos, daqueles que já não sabem mais sorrir...
Fiz-me rio de correnteza amena, para lançar barcos que flutuam a mercê do tempo...
Vozes esquecidas numa página qualquer de caderneta antiga, manchada de dedos calejados por incertezas...
Contigo aprendi que os sonhos platônicos são mais reais que o fogo incandescente de um vulcão anônimo!
Notei que tua boca fala alto demais e que teu coração mente com sorriso nos lábios.
És mais ave de cemitério que pomba de mural de um solo santo!
Cantas como que tentando cativar olhos singelos, finge-se poeta para esconder tolos mistérios...
Fútil ilusão, insana demência...
Acorda! Vês que os teus passos seguirão velhos numa estrada esquecida de qualquer cidadezinha do interior?
Cantavas como o rei, num reinado solitário e vago...
Condenado a colher migalhas como pombos de praça ao meio dia, sem asas...
Trazer a ferro e fogo a dor de alguém que despertou amor, rasgar a página escrita com a sede das verdades...
Picar papel, pena e verso!
Lançar à fogueira das vaidades, parece-me coisa de principiante...
Viver sem correr riscos é o mesmo que sentar na estação, esperar o trem por toda a tarde e não entrar no vagão...

(Márcia Cristina Lio Magalhães - Crônica Publicada no Jornal O Povo/2010)

13 comentários:

  1. Amiga Márcia,

    "Viver sem correr riscos é o mesmo que sentar na estação, esperar o trem por toda a tarde e não entrar no vagão..."

    Tem toda razão, viver e não correr risco, ficar sentado á beira do anonimato é cômodo, mas é tolice!
    Gostei do teu texto, direto como uma flecha...

    Abraço!

    Pedro Saulo

    ResponderExcluir
  2. Marcia. linda cronica, mas a nossa vida é sempre um risco nunca sabemos para onde vamos e para onde caimos.
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  3. lições a cada estação, mas é preciso embarcar


    beijo

    ResponderExcluir
  4. Verdade Santa Cruz, viver é um risco... Por isso vivo tudo intensamente, até a última gota...

    Um abraço amigo...

    ResponderExcluir
  5. Tem gente que já perdeu o trem amigo Assis...

    Um abraço forte!

    ResponderExcluir
  6. O maior presente que podemos
    oferecer a alguém, é aquele que
    não se vende e nem se compra....
    O amor, o carinho e o sentimento
    de uma bela amizade".

    Aqui deixo meu carinho...Bom FDS! M@ria

    ResponderExcluir
  7. Sonhos dormem, mas não se evaporam
    Não possuem natureza volátil,
    Criam raízes onde moram
    E, caso encontrem um ramo de esperança,
    Não se permitem sepultar.

    Regina Xavier

    BOM FDS e BEIJOS MEUS! M@ria

    ResponderExcluir
  8. Obrigada M@ria, pela presença sempre oportuna e pela amizade!

    Beijo no coração...

    ResponderExcluir
  9. Lindo escrito querida Má...
    Passando para te ler e para deixar um grande abraço neste dia especial!
    Meu carinho de sempre... saudades de ti!
    Beijos...RO

    ResponderExcluir
  10. Oi Rô, obrigada pela visitinha! Adoro vê-la por aqui...
    Feliz Dia da Mulher, que é todo dia né...hehehe

    Saudades, muitas!

    beijo em teu coração amiga querida!!

    ResponderExcluir
  11. Eiiii, admirável Márcia! Pensei que vc só poetizava, mas avançando mais na leitura dos seus trabalhos, encontrei uma escritora muito talentosa. Estou encantado com a qualidade dos seus textos, especialmente das crônicas que são o meu ponto fraco. Esta sobre O Destino é fantástica. Parabéns nobre escritora. Sucesso pleno pra ti nos seus projetos.

    ResponderExcluir
  12. Prezado Dilson, admiráveis são as palavras sorriso que tu me deixas...

    Um imenso abraço!

    ResponderExcluir

Olá, fico feliz que estejas aqui! Agradeço por deixar um aceno, uma palavra, um pontinho que seja da tua opinião.
Faz deste cantinho teu também e volta, sempre! Deixo um beijo, com sorriso... Márcia Magalhães