Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
A poesia é água cristalina, sacia a sede, alimenta o espírito. Já não posso mais dizer se ela quem me habita ou o contrário. Como explicar sobre? A escrita é uma lâmina afiada, um vulcão, ou apenas ilha de águas mornas, banha pés descalços... Nunca quis definir a poesia, melhor esquecer-se das explicações. Escrever passou a ser janela exposta, que por hora, mantêm-se aberta ao mundo de quem lê. *** Mineira/Paulistana/ Poeta, Escritora, Administradora de Empresas, Pós Graduada em Gestão Empresarial. Laureada com o III Prêmio Canon de Literatura e Poesia em 2010. Márcia Christina Lio Magalhães é Sócia-Fundadora da Academia de Letras Juvenal Galeno, onde ocupa a Cadeira nº 10. Diretora de Relações Culturais da ALJUG. Membro da ACE - Associação Cearense de Escritores. Este Blog é dedicado a todos os amantes da poesia e que possamos através dela, unir horizontes, atravessar oceanos, iluminar os corações, alegrar os solitários, apaziguar a alma, multiplicar as amizades, eternizar as emoções. Sejam bem vindos!*** Livros Publicados: POETAR É PRECISO - 1° edição 2010 ** A PELE QUE HABITO - 1° edição 2013.

22 de mar de 2010

E a mão que afaga, esquece os olhos
Ludibria a sede da solidão
Pois que se bebe o gole das amarguras
Gota a gota, chão a chão...

Ainda que a vastidão das horas
Percorra a estrada da oração
Melhor sorrir à pena amarga
Deixar pegadas na imensidão...

Das cinzas que te lanças
Por sobre abismos da espera
Voam a sabor do tempo, sem direção
Fugaz adaga, traiçoeiro destino
Aprisiona o menino, que é meu coração...

Mesmo que habites a morada do altíssimo
Passando pela vida, sem pretensão
Declama pois em verso, as lágrimas do meu grito
Segura uma vez mais a lápide das minhas mãos...

(Márcia Cristina Lio Magalhães)

6 comentários:

  1. Palavras líquidas escritas por mãos que caminham sobre olhos marejados de luz. Os teus!

    Beijinho!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei sem palavras agora Jorge amigo!
    Tua amizade abre qualquer porta...

    Obrigada, sempre e muito!

    Márcia

    ResponderExcluir
  3. "Declama pois em verso, as lágrimas do meu grito - Segura uma vez mais a lápide das minhas mãos..."

    Lindo menina Márcia!
    Como sempre sua escrita faz-me ler imagens em poesia...

    abs,

    Pedro Saulo

    ResponderExcluir
  4. Limpo, sério e suave!
    Parabéns, Márcia.

    Grande abraço
    Jorge

    ResponderExcluir
  5. O comment que te dexei é da mais elementar justiça, Amiga Márcia. A tua poesia é de uma sensibilidade tocante.
    Beijinho!

    ResponderExcluir
  6. Obrigada Jorge's, Pimenta e Sader pelo carinho e amizade infinitos!

    Márcia

    ResponderExcluir

Olá, fico feliz que estejas aqui! Agradeço por deixar um aceno, uma palavra, um pontinho que seja da tua opinião.
Faz deste cantinho teu também e volta, sempre! Deixo um beijo, com sorriso... Márcia Magalhães