Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
A poesia é água cristalina, sacia a sede, alimenta o espírito. Já não posso mais dizer se ela quem me habita ou o contrário. Como explicar sobre? A escrita é uma lâmina afiada, um vulcão, ou apenas ilha de águas mornas, banha pés descalços... Nunca quis definir a poesia, melhor esquecer-se das explicações. Escrever passou a ser janela exposta, que por hora, mantêm-se aberta ao mundo de quem lê. *** Mineira/Paulistana/ Poeta, Escritora, Administradora de Empresas, Pós Graduada em Gestão Empresarial. Laureada com o III Prêmio Canon de Literatura e Poesia em 2010. Márcia Christina Lio Magalhães é Sócia-Fundadora da Academia de Letras Juvenal Galeno, onde ocupa a Cadeira nº 10. Diretora de Relações Culturais da ALJUG. Membro da ACE - Associação Cearense de Escritores. Este Blog é dedicado a todos os amantes da poesia e que possamos através dela, unir horizontes, atravessar oceanos, iluminar os corações, alegrar os solitários, apaziguar a alma, multiplicar as amizades, eternizar as emoções. Sejam bem vindos!*** Livros Publicados: POETAR É PRECISO - 1° edição 2010 ** A PELE QUE HABITO - 1° edição 2013.

26 de abr de 2010

"Mata-me pensar que um dia, as palavras possam morrer cá dentro, antes que meu corpo padeça..."

(M.C.L.M)

8 comentários:

  1. Caro amico Vito, la poesia è forte come la morte, ma le parole non sanno morire ...

    Felice con la vostra visita, sempre!

    ResponderExcluir
  2. Não morrem jamais, Amiga Márcia. Mas, saibamos deixá-las adormecer, mesmo que por momentos, enquanto a voz ensaia o canto silencioso.
    Beijinho grande!

    ResponderExcluir
  3. é.também penso nisso.(bonita a forma como traduziste esse pensamento.)
    ...
    tens um selo à tua espera.
    beijo

    ResponderExcluir
  4. Meu receio Jorge amigo, já me corrói por dentro...
    O que é um "escrevente" sem inspiração?
    Posso perder qualquer coisa, mas esse temor de perder "as palavras", muito me consome...
    Que este canto silencioso que tu mencionas, esteja sempre vivo em nossos corações...e mente...

    abraços,

    ResponderExcluir
  5. Em@ querida, feliz em ver que tu gostou das minhas di-vaga-ções...
    Já tô indo buscar meu Selo, obrigada!

    beijos flor!

    ResponderExcluir
  6. As palavras
    Renovam-se como as células.
    Também elas fazem parte do nosso ADN
    Mas as células leva-as a morte.
    Enquanto as palavras são imortais.

    Gostei do teu pensamento.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Já escrevi antes num poema que:
    "As palavras não sabem morrer..."

    Porém, para um aprendiz de escrevente como eu, supor perder o alimento da alma, muito me incomoda...

    Concordo contigo, as palavras são imortais!
    Ainda que o corpo padeça, elas de certo, já alçaram vôo, e sempre terão um porto seguro á espera...

    Obrigada Bravo pela visita, volta sempre!

    abraços...

    ResponderExcluir

Olá, fico feliz que estejas aqui! Agradeço por deixar um aceno, uma palavra, um pontinho que seja da tua opinião.
Faz deste cantinho teu também e volta, sempre! Deixo um beijo, com sorriso... Márcia Magalhães