Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
A poesia é água cristalina, sacia a sede, alimenta o espírito. Já não posso mais dizer se ela quem me habita ou o contrário. Como explicar sobre? A escrita é uma lâmina afiada, um vulcão, ou apenas ilha de águas mornas, banha pés descalços... Nunca quis definir a poesia, melhor esquecer-se das explicações. Escrever passou a ser janela exposta, que por hora, mantêm-se aberta ao mundo de quem lê. *** Mineira/Paulistana/ Poeta, Escritora, Administradora de Empresas, Pós Graduada em Gestão Empresarial. Laureada com o III Prêmio Canon de Literatura e Poesia em 2010. Márcia Christina Lio Magalhães é Sócia-Fundadora da Academia de Letras Juvenal Galeno, onde ocupa a Cadeira nº 10. Diretora de Relações Culturais da ALJUG. Membro da ACE - Associação Cearense de Escritores. Este Blog é dedicado a todos os amantes da poesia e que possamos através dela, unir horizontes, atravessar oceanos, iluminar os corações, alegrar os solitários, apaziguar a alma, multiplicar as amizades, eternizar as emoções. Sejam bem vindos!*** Livros Publicados: POETAR É PRECISO - 1° edição 2010 ** A PELE QUE HABITO - 1° edição 2013.

29 de abr de 2010

"O amor, a chave que abre qualquer porta!
Até a dos corações desalmados..."

(M.C.L.M)

26 de abr de 2010

"Mata-me pensar que um dia, as palavras possam morrer cá dentro, antes que meu corpo padeça..."

(M.C.L.M)

20 de abr de 2010

"Entre dunas e coqueiros
e o mar logo adiante;
É Fortaleza que hoje, desabrocha em mim..."

(M.C.L.M)



Foto: M.C.L.M

19 de abr de 2010

15 de abr de 2010

A Vida



A vida é passarinho, meiga doce
É deserto, sal, sol radiante
É verso, rocha, diamante
Olhar desconfiado, indecisão...

A vida é sombra, água fresca
É cama de corola, pedra sabão
A vida é casarão, rua de terra
É lâmina afiada, é solidão...

A vida é horizonte, praia deserta
É neve, urso, barco, indagação
A vida é cachoeira, é fogo em brasa
É bolo de fubá, café com pão

A vida é um pontinho na imensidão
Um céu de brigadeiro, gotas de orvalho
É palco imaginário do coração
de um poeta solitário...

(Márcia Christina Lio Magalhães)
"Saudade,
Sombras que vagam à beira da lua cheia

Lágrimas de estrelas cadentes..."

(M.C.L.M)

14 de abr de 2010

Raiz

"De ti quis a eternidade até à raiz do tempo
como o operário suado procura o silêncio.
Não viajaste do meu lado da estrada.
Hoje, o vento corre a desfazer o mundo:
leva o teu grito por esses ares fora."

(Jorge Manuel Rocha Pimenta)

"Neste mundo de sonhos

Onde a vida é mais sonhada que vivida
Há de haver em algum caminho de certo
Pegadas invisíveis

Como gritos parados no ar...
Quem tiver ouvidos, ouça!
Quem não tiver coração
que se cale..."

(M.C.L.M)

13 de abr de 2010



"Não há explicação plausível para o amor
Não adianta querer conjugar
Melhor partir, embarcar
Em algum lugar,

há um cais de porto..."

(M.C.L.M)

12 de abr de 2010

" Sonhar é acordar-se para dentro."

(Mario Quintana)

7 de abr de 2010


Foto: M.C.L.M

"Dentro de cada verso mora o infinito
De cada voz que cala imensidões bastante
Dos gestos que te fiz, pedaços de mim
N’algum farol que um dia
A luz da morte há de apagar
Senta cá no cais
Pousa seu amor em mim...
Abraça o poema
Toma-lhe como seu
Pois que lá no céu
As horas são eternas!"

(Márcia Cristina Lio Magalhães)